Escalas de violão

É muito importante para quem está aprendendo violão, conhecer e praticar escalas. Mesmo que você esteja aprendendo violão popular, ou seja, acordes para acompanhamento, deve empenhar-se em começar a treinar algumas escalas simples, mesmo porque as escalas de violão tem tudo a ver com a formação dos acordes.
Existem diversos tipos de escalas diferentes. Maiores, menores, pentatônicas, harmônicas, melódicas e por aí afora. Não é necessário, pelo menos para um principiante conhecer todas as escalas. Mesmo porque nem sei se isso é possível.
Geralmente o músico empenha-se em aprender as escalas mais utilizadas, especializando-se naquelas que usa mais no tipo de música que mais toca. Portanto, vamos começar pelo começo.

Escalas de violão maiores

São aquelas de tonalidades maiores (dããã…), claro. Primeiro, é preciso saber que, além de existirem diversos tipos de escalas de violão, as mesmas são executáveis ao longo de todo o braço do violão.
Explicando. Você pode executar uma escala de C (dó maior) Nas cinco primeiras casas do violão, como a do exemplo abaixo. Mas pode também executar outra escala de C em outra parte do braço do violão. Ou, indo mais longe, executar a escala completa de C ao longo de todo o braço do violão.
Escalas de violão têm um padrão. Um “desenho” no braço do violão. Este desenho se repete ao longo do braço, para diversas escalas. Como no caso de acordes com pestana. O desenho é o mesmo, basta trazer mais para frente ou para trás e teremos um novo acorde. Mas a posição dos dedos é a mesma. Assim acontece também com as escalas. Se você faz uma escala de G começando na terceira casa do braço do violão, trazendo o mesmo “desenho” duas casas adiante, terá uma escala de A (é claro…).
Outra vantagem de se estudar escalas de violão, está no fato de se conhecer melhor o braço do instrumento. A localização das notas. E – muito importante – a relação das escalas com os acordes, como você poderá ver no video abaixo.

Escalas de violão não são melodias

Preste atenção: as escalas não são – em si mesmas – melodias. Elas são agregações de notas pertencentes a uma tonalidade, em princípio. Ou seja, uma escala não pode ser utilizada como a melodia ou o solo de uma música. Ela é – isso sim – utilizada para se fazer a melodia ou solo.
Segue abaixo uma escala de C (dó maior), bastante interessante e utilizada em diversas músicas, como você poderá verificar. No video, dei apenas dois exemplos conhecidos. O riff da música “La bamba” e a introdução de “Maluco beleza”.
Caso você não esteja familiarizado com tablaturas, não se assuste. O video vai ajudá-lo a decifrar esta coisa. As seis linhas representam as seis cordas do violão. Os números representam as casas em que se deve apertar as cordas, na sequencia em que isso deve ser feito.
Observe a primeira linha da primeira parte da escala. É a primeira corda do violão, sendo tocada primeiro na quinta casa (5), depois na terceira (3), depois na primeira casa (1) e enfim solta (0) . Simples, não é? A princípio dá aquela vontadezinha de ”largar isso pra lá”, mas não faça isso. Em pouco tempo você lê uma tablatura que é uma beleza! A menos que você pretenda aprender a ler partitura…
A execução da escala deve ser feita, a princípio, bem devagar, fazendo soar corretamente todas as notas e – muito importante – obedecendo sempre o mesmo tempo entre uma nota e outra, mesmo quando se muda de corda!
Um aviso: não tenha pressa. Treine um pouco por dia, começando devagar. Ao sentir que já domina a escala, vá aumentando a velocidade aos poucos.

Escalas de violão – tablatura escala C (dó maior)

1E|——5–3–1–0———————————————
2B|——————3–1–0————————————
3G|—————————2–0——————————
4D|———————————3–2–0———————
5A|——————————————3–2–0————
6E|—————————————————3–1——
1E|———————————————0–1–3–5——
2B|————————————0–1–3——————
3G|——————————0–2—————————
4D|———————0–2–3———————————
5A|————0–2–3——————————————
6E|——1–3—————————————————

0 comentários:

Postar um comentário